Confira as fotos panorâmicas 360° graus de nossos ambientes

História

A AREL nasceu a partir da criação de um grupo de imigrantes alemães, que se organizou para criar uma escola onde suas crianças pudessem cultivar caracteristicas da cultura alemã, como idioma, músicas, roupas, culinária e, especialmente, hábitos sociais e familiares, também inserindo os costumes brasileiros.
Assim, em 1934, surgiu a primeira Sociedade do Clube Alemão, com o nome de Sociedade Escolar e Recreativa Alemã de Londrina, construída num terreno doado pela Prefeitura Municipal de Londrina, com recursos fornecidos pelos próprios pioneiros.

Em 1951, foi criada a Associação Recreativa Esportiva Londrinense. As primeiras obras, na sede da rua Hugo Simas - como as pistas de bolão, foram feitas com o objetivo de aumentar a frequência dos associados.

Durante os mais de 60 anos de história, todas as diretorias atuaram sempre com muito dinamismo, visando aos associados e colaboradores um ambiente de qualidade, proporcionando saúde, bem-estar e alegria. 

O resultado de tanto empenho e dedicação não poderia ser outro: Atualmente, a AREL é referência em recreação e lazer para Londrina e região, tornando-se um clube-modelo, amplamente reconhecido pela excelência de suas instalações e pelo sucesso e organização obtidos em todos os seus eventos esportivos, sociais e culturais.


Nesta foto, de 1934, os alunos da antiga escola alemã, filhos de imigrantes.


Imigrantes -_Escola_Alem_copy_copy


 


 O CLUBE ALEMÃO E O BOLÃO


“A origem do Clube Alemão foi a Sociedade Escolar e Recreativa Alemã de Londrina, fundada em 1934 e oficializada em 7 de janeiro no Registro de Títulos e Documentos. Tinha como propriedade uma escola no centro de Londrina, mas que foi desapropriada durante a 2ª Guerra Mundial.
Depois do conflito, um grupo de alemães e de seus descendentes passaram a se reunir para piqueniques em sítios, na padaria alemã que ficava na Rua Pernambuco e também em bailes que eram realizados num salão particular.
Havia a possibilidade de o governo pagar uma indenização referente à antiga propriedade, mas para isso teria que existir uma associação legalizada como herdeira daquela sociedade escolar de 1934. Então, em 15 de julho de 1951, foi fundada a AREL, legalizada em 23 de agosto de 1951 e extraoficialmente denominada “Clube Alemão”. Por volta de 1953, recebeu a indenização, que foi usada para a compra do terreno situado na Rua Hugo Simas.
Com a promoção de festas e quermesses e a venda de ações, o Clube foi angariando fundos para a construção da sede naquele terreno, a qual foi inaugurada em 1955. A obra compreendia salão de festas, bar, cozinha e outras dependências.
Na época, o Clube contava entre 50 e 100 sócios. Eram organizados bailes, jogava-se baralho, tomava-se cerveja, entre outras atividades. Era necessário, entretanto, que houvesse algo mais para a diversão das famílias.
Foi então que Helmuth Fischer, membro da diretoria e conhecedor do bolão, esporte muito praticado em Santa Catarina, convidou um construtor de pistas de bolão daquele Estado para dar orientações sobre a construção das mesmas.
Com mais promoções de festas e a venda de ações para novos sócios, foram angariados os fundos para a construção do abrigo e de duas pistas de
bolão. Houve várias contribuições, entre elas a madeira de cabriúva utilizada nas pranchas das pistas, doada pelo sócio Robert Zier.
As pistas foram inauguradas em julho de 1957. Desde o começo o bolão foi um sucesso, com a entrada de novos sócios e grande movimento durante a semana, à tarde com equipes femininas e à noite com equipes masculinas, totalizando dez grupos diferentes. Já aos sábados e domingos, as pistas ficavam abertas para toda a família. A frequência de sócios praticando bolão na AREL oscilava entre 200 e 250 pessoas semanalmente.
Foram organizados torneios e campeonatos e também começaram as disputas com outros clubes em cidades que já tinham o bolão, ou que surgiram, com o exemplo da AREL, construindo suas pistas. Em meados dos anos 60, foi organizado o “Torneio do Asfalto”, evento patrocinado pela Transportadora Paulista, de Agenor Garutti, sócio dirigente e grande incentivador do Clube. A disputa envolveu equipes de Londrina, Cambé, Rolândia, Arapongas e Maringá, todas na linha do asfalto, incluindo a cidade de Bela Vista do Paraíso. Participavam as duas melhores equipes de cada clube e o vencedor, em dois anos seguidos, foi um grupo da AREL. Prova da conquista é o belíssimo troféu conquistado na época, que agora está sendo entregue ao Clube.
Naquele período, o esporte ganhou muita importância. O radialista Deolindo Costa tinha um programa em uma estação de rádio da cidade, que diariamente, no horário do almoço, divulgava as notícias do bolão para toda a região.
Em 1964 nasceu, dentro do bolão, a “Festa da Cerveja”, orientada pelos membros da família Roehrig, que conheciam a festa realizada em Curitiba e que fazia sucesso havia mais de 50 anos.
Como entre os anos de 1956 e 1966 o número de sócios aumentou consideravelmente, havia a necessidade de uma sede maior, que contasse, principalmente, com um parque aquático. Ao final dos anos 60 foi adquirido, em duas parcelas, o terreno da atual sede e iniciada a construção das piscinas, financiada com a adesão de novos sócios, de todas as nacionalidades. Mesmo assim, a associação continuou a ser chamada de “Clube Alemão”. O parque aquático foi inaugurado em 8 de março de 1969.
A partir daí o Clube só foi crescendo em todas as áreas, até chegar ao que é hoje. O número de sócios chegou a 2.200 e nos anos 80 foi adquirida mais uma faixa de terra, completando o terreno atual.
Há que se salientar que a AREL foi muito favorecida pela sequência das diretorias que, apesar de algumas diferenças de opinião, na sua totalidade trabalharam na continuidade de melhorar e aprimorar o funcionamento do Clube. A AREL é considerada hoje, por muitos, como o melhor clube da cidade.
Fazendo uma análise principalmente sobre o que aconteceu nos anos 60, época em que as diretorias contavam com a participação maciça de bolonistas, chega-se à conclusão que o grande propulsor do crescimento do Clube foi o bolão. E que, sem ele, talvez nunca teria alcançado o que é hoje, e teria ficado nos anos 50 e 60 como um clube tradicional de pouco movimento ou até desaparecido por falta de sócios.
Não foi possível mencionar as dezenas de sócios que colaboraram para o sucesso que se tornou o Clube, com o receio de acabarmos nos esquecendo de citar alguns deles.
Finalizando, o lema “Menos eu e mais nós” foi o princípio dos dirigentes da
AREL durante todos esses anos, resultando no que hoje é o “Clube Alemão”.
PS.: ainda como esclarecimento, cheguei a Londrina no final de 1951. Participei da festa do final daquele ano tocando acordeom no baile, tornando-me sócio do Clube logo depois. Como participante de diretorias por muitos anos, além de frequentar o Clube durante 64 anos, achei por obrigação partilhar estes conhecimentos com os demais sócios. ”

 

 

Muito obrigado!

 

 


Ralf Fritz Paul Muller – sócio nº 30

 

 

 

 

Londrina, 18 de Outubro de 2017. 00h31

Localizacao

Secretaria